Saiba os riscos oferecidos pelo excesso de detergente na água

Saiba os riscos oferecidos pelo excesso de detergente na água

A água potável é um recurso indispensável em todos os lares e segmentos do mercado. Destinado ao consumo humano e outras atividades, o fluído passa por um rigoroso tratamento, desde o momento em que é captado, até ser direcionado às redes de distribuição.

De acordo com uma notícia publicada pelo Portal G1, em fevereiro deste ano, uma estação de tratamento de água (ETA) do Rio de Janeiro precisou paralisar o serviço de abastecimento, devido a presença de detergente em uma das fontes de captação de água, o Rio Guandu.

O problema foi detectado após uma massa de espuma (reação típica deste tipo de produto com a água) ter coberto parte da superfície do corpo hídrico. Segundo a matéria, por esse motivo, o serviço de abastecimento precisou ser suspenso por 14 horas, atingindo aproximadamente nove mil lares, que dependem da estação.

Essa ação foi necessária porque, apesar de ser um produto bastante popular, e indispensável para a higienização de lares, comércios e indústrias, o detergente também pode apresentar perigo ao consumidor e ao meio ambiente, principalmente, em casos de ingestão, devido a característica tóxica.

Com propriedades químicas, a fórmula do detergente contém elementos como o álcool, corante, silicato, fosfato, alcalinizante e removedor de manchas, que, dependendo do contato, afetam o organismo humano. Em casos mais graves, podem causar à vítima crises de tosse, náusea, vômito, diarreia, narcose, fadiga, irritação nos olhos, na pele, na garganta e no aparelho digestivo.

Outro componente importante na produção do detergente é o Dodecil Benzeno Sulfonato de Sódio, conhecido mundialmente como LAS. Usado para substituir gorduras e óleos de coco, esse derivado petroquímico é um composto aromático, aplicado em diferentes fabricações de sabão.

Mesmo se tratando de um item biodegradável, o LAS, assim como outros elementos, pode enfrentar dificuldade no processo natural de degradação, caso seja encontrado em grandes quantidades. Desta forma, parte do elemento permanece parada na superfície do corpo d’água, colocando em risco a sobrevivência de microrganismos (como as bactérias), peixes, anfíbios, plantas e outras espécies aquáticas.

A existência de bactérias na natureza é essencial, já que as mesmas consomem matérias orgânicas (folhas, alimentos, sedimentos, gordura etc), encontradas naturalmente na água bruta. O acúmulo desses resíduos pode resultar em impactos ambientais, como a eutrofização e alterações no pH e turbidez da água.

A eutrofização implica no crescimento excessivo de plantas aquáticas, que cobrem rios e lagos e impedem a saída de nitrogênio e fósforo. Esse problema é bastante grave, já que afeta também a entrada de oxigênio e luz solar, resultando em desiquilíbrio no recurso hídrico.

O que garante uma água para consumo, livre de detergentes?

Assim como citado na matéria do Portal G1, a contaminação da água por detergente teve início ainda na fonte de captação, o Rio Grandu. Para evitar casos como este, as estações de tratamento aplicam diferentes técnicas para remover, não só o detergente, como sais, minerais e outros materiais orgânicos e inorgânicos, encontrados na composição da água bruta.

As ETAS utilizam desses métodos para oferecerem um fluído puro, propício para distribuição, eliminando o risco de prejudicar saúde do consumidor. Para manter esse padrão de qualidade, é necessário que as autarquias atendam às normas descritas na Portaria de Consolidação Nº 5, para água potável, publicada pelo Ministério da Saúde.

Criada para consolidar ações e serviços do Sistema Único de Saúde, essa legislação é supervisionada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por meio de uma auditoria anual, que avalia se as instituições atendem, ou não, às exigências propostas. Caso algum processo esteja errado, ou seja, não corresponda a esse padrão de qualidade, a empresa fica sujeita à notificação, autuação e/ou interdição, de acordo com a gravidade da situação.

Além das ETAS, empresas como as do ramo alimentício, de bebidas e farmacêutico, embora não necessariamente sigam a Portaria de Consolidação Nº 5, também exigem uma água ultrapura para os processos, já que o produto final terá contato direto com o organismo do consumidor.

Problemas com o acúmulo de detergente na água?

A Unniroyal oferece a solução ideal para cada caso, afim de entregar uma água de qualidade para todos os setores do mercado. Em casos de fluídos contaminados por detergente, realizamos dois tipos de tratamento, variando o método conforme a concentração do produto na água.

Solução 1: uso de antiespumante e filtro de carvão

A primeira solução se baseia em fluídos com menor presença de detergente. Nestes casos, é recomendado o uso de um produto antiespumante, seguido da filtração por carvão ativado.

O antiespumante atua para interromper a produção de espuma, um material surfactante, acumulativo e multiplicador. Na ação deste produto, a tensão superficial do material é quebrada, impedindo que a espuma se forme e flutue sobre a água.

O uso do filtro de carvão ativado é essencial após essa etapa, porque adsorve as partículas de matéria orgânica que ainda permaneceram no fluído, garantindo uma água livre de detergente.

Solução 2: decomposição da matéria orgânica

Destinado aos fluídos que apresentam alta concentração de detergente, o método de decomposição consiste na implantação de bactérias aeróbicas e anaeróbicas na água, afim de deteriorar a espuma, formada pela reação do surfactante.

Também oferecemos a aplicação de micro e macro nutrientes, que favorecem a proliferação das bactérias (já existentes) na água. Expostos a um meio favorável, e à alimentação propícia, esses microrganismos acabam se desenvolvendo mais rápido, consumindo a matéria orgânica acumulada em um prazo bem mais curto.

Após esse processo, é necessário ainda que a água passe por um sistema de filtração, afim de adsorver todas as impurezas que ainda restaram, garantindo a eliminação total do detergente.

A Unniroyal

A Unniroyal oferece estes e outros tratamentos para sistemas de água potável e de uso industrial. Especialistas no ramo, pensamos em soluções econômicas e sustentáveis, que garantem a qualidade ideal para cada fluido, preservam a vida útil de equipamentos e reduzem o consumo de água e energia em sua empresa.

Agende já uma avaliação conosco e receba a visita de um de nossos técnicos.

A matéria completa do Portal    G1, citada nesse artigo, pode ser acessada em: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/02/04/estacao-de-tratamento-de-agua-do-rj-e-contaminada-por-detergente.ghtml